RIO
 
SuperVia fará viagens extras após show e jogos no fim de semana
 

A SuperVia preparou planejamentos especiais para atender ao público dos shows e jogos de futebol, que acontecerão esta semana nos estádios cariocas. Ao todo, a concessionária vai realizar 12 viagens extras, que representarão 24 mil lugares adicionais em trens equipados com ar-condicionado, para maior conforto dos passageiros.
A operação começa hoje, após o jogo entre Flamengo e Madureira, no Nilton Santos, quando serão realizadas três viagens extras, sendo uma para Japeri, uma para Santa Cruz e uma para a Central do Brasil, todas com partidas da estação Olímpica de Engenho de Dentro.
Já para quem for assistir aos shows do cantor Phil Collins, hoje (22/02), e do grupo Foo Fighters, no próximo domingo (25/02), a concessionária vai disponibilizar, após cada apresentação, três composições extras com partidas da estação Maracanã para os ramais Santa Cruz, Japeri e Saracuruna (uma para cada). Os trens dos ramais Japeri e Santa Cruz serão paradores e também atenderão as estações do ramal Deodoro.
No domingo, serão oferecidos trens extras para Japeri, Santa Cruz e Central do Brasil para o retorno dos torcedores que forem acompanhar a disputa entre Botafogo e Cabofriense, no Nilton Santos. As viagens partirão da estação Olímpica de Engenho de Dentro.
Para a ida aos eventos, os espectadores poderão utilizar os trens da grade regular da concessionária, de acordo com o planejado para cada ramal. Os intervalos e horários podem ser consultados nas estações, na seção "Planeje Sua Viagem" (disponível no aplicativo e no site www.supervia.com.br), ou por meio do SuperVia Fone, no número 0800.726.9494.

 

 

Publicidade



 
 
 
 
navegue aqui
colunas
 
Empresa Jornalística Real ZM Notícias Ltda
   
Rua Bahia, 529 - Nova Iguaçu - Cep.: 26282-010
   
FUNDADOR: Manoel Batista de Almeida
 
» Artigos: Jayme Soares
 
Diretor Comercial: Marcelo de Souza Almeida
   
Diretora Administrativa: Michelle de Souza Almeida
 
Copyright 2013 ZM Notícias - Todos os direitos reservados
 
 




 

 

Equipe de refugiados quer esquecer passado de guerras e fazer história no Rio