COLUNAS
 
+CIDADE
 

Nós, da 58ª DP (Posse) estamos acompanhando de perto os casos de intolerância religiosa que vem acontecendo em nossa área. Os últimos casos foram seis mas sabemos que existem muito mais. O que acontece é que as pessoas não registram esses casos e ai fica mais difícil ainda para Polícia conter a onda de violência. É preciso que as pessoas procurem as delegacias e façam os registros e, depois disso, cobrem não apenas da autoridade policial mas de todos os atores nesse processo, o que inclui a Justiça.
Participei de audiência pública na Câmara de Nova Iguaçu para discutir o assunto e entendo que isso é muito importante. Encontros como esse são emblemáticos para que a sociedade se organize contra esses atos de violência. Um desses seis casos foi o de um pastor que aparece em vídeo quebrando imagens e chamando as imagens de “demônios”. Mas, sabemos que a maioria dos evangélicos não compactua com esse tipo de ação. Só queremos deixar claro que a Polícia está fazendo sua parte.
Temos uma parceria muito boa com a Secretaria Estadual de Direitos Humanos que nos passa informações, nos cobra e nós também fazemos essa troca. Durante a participação na audiência pública na Câmara de Vereadores de Nova Iguaçu, pedi que fosse incluído no documento que foi redigido pelo grupo que agentes da Polícia recebam treinamento para que possa lidar melhor com esses tipos de casos. Precisamos estar conscientes de que um ataque a um centro de religião afro pode ser encarado pela Polícia de várias maneiras.
Cada maneira tem uma penalidade e uma forma de ser conduzido o inquérito. Pode se tratar de roubo. Como já vimos acontecer onde as imagens e outros objetos roubados foram vendidos na rede OLX. Existe o preconceito propriamente dito com ação do tráfico e de fanáticos e também a intolerância religiosa. É preciso que o agente que vai receber essa denúncia esteja preparado para atender aquela pessoa que foi procurar a autoridade policial e também é importante que a pessoa cobre ações efetivas.
O que posso dizer é que, nós da 58ª DP, estamos de portas abertas para receber as denúncias. Nos desdobramos para que todos os casos sejam acompanhados mas também esperamos que outros atores, cada um dentro de sua área de atuação, faça sua parte. Em outras discussões que forem abertas achamos interessante a participação do Ministério Público uma vez que a atuação dos promotores é de suma importância. No mais, agradeço a oportunidade.

Delegado da 58ª DP (Posse) Adriano Fonseca.

 

Publicidade



 
 
 
 
navegue aqui
colunas
 
Empresa Jornalística Real ZM Notícias Ltda
   
Rua Bahia, 529 - Nova Iguaçu - Cep.: 26282-010
   
FUNDADOR: Manoel Batista de Almeida
   
Diretor Comercial: Marcelo de Souza Almeida
   
Diretora Administrativa: Michelle de Souza Almeida
 
Copyright 2013 ZM Notícias - Todos os direitos reservados